Guia de cordas – Parte 1

.Créditos a Atelier de Violino

.
.
.
.
.

.

.

Guia de Cordas: Introdução

Quais as cordas certas para seu violino? Quais cordas são melhores?
Não há uma resposta correta que sirva pra todos. Cada violino reage diferentemente com diversas marcas de cordas.
Um tipo de corda soa maravilhosamente em um instrumento e estridente, falho ou muito claro em outro violino. Cada instrumento é diferente e único, e a necessidade individual do violinista é importante. Por exemplo, uma corda clássica para violino pode não ser a corda certa para “Blue Grass fiddler” e vice e versa. Alguns instrumentos responderão melhor com algumas cordas do que com outras. As cordas variam em Som, execução, volume e resposta. Cada instrumento é único e cada violinista é único. Abaixo, os três tipos básicos de cordas.

Cordas de Núcleo Sintético

É de longe o tipo mais popular de cordas, porque são mais estáveis que as inconstantes cordas de tripa, tendo muita cor tonal como as cordas de tripa, em geral. Cordas de tripa (naturais) são vistas como tendo o melhor tom, mas precisam ser afinadas com maior freqüência e reagem a mudanças de tempo (clima). As cordas de núcleo sintético: foram inventadas no inicio dos anos 70, quando Thomastik-infeld começou a produzir as revolucionárias Dominant´s, feitas com nylon perlon.
Desde então, fabricantes têm criado várias marcas de cordas de núcleo sintético usando outros nylons de alta tecnologia e materiais compostos. As cordas de núcleo sintético têm a qualidades de som quente das cordas de tripa, e são muito mais estáveis em afinação.

Cordas de Tripa

Por séculos, todas as cordas musicais eram feitas de pura tripa de carneiro – ao invés de tripa de gato, como se acredita popularmente. No século XVI as cordas mais graves (que eram mais finas) eram enroladas com fios de prata para aumentar a massa. Hoje cordas de tripa têm um núcleo de tripa e não são feitas totalmente de tripa.
De acordo com a String Maker Damian Dlugolecki, “Desde que o fio de prata ou cobre é muito mais pesado que a tripa, aplicando uma, duas ou três voltas deste fio revestindo a tripa, você cria uma corda com a mesma tensão e o mesmo timbre de cordas de pura tripa de diâmetro consideravelmente maior”.
Cordas de tripa são conhecidas por serem quentes e ricas em sons com overtones complexos. Cordas de tripa tendem a demorar mais a responder quando tangidas se comparadas às cordas sintéticas, e uma vez tangidas geralmente são estáveis, mas podem reagir a mudanças das condições climáticas e geralmente solicita mais afinação que cordas de núcleo sintético.
Diferentes tensões de corda para cordas de tripa podem mudar a qualidade e a força do tom drasticamente. Geralmente uma tensão corda natural de tensão menor terá menor aplicação de força e som menos brilhante, ao contrário de uma corda mais fina que será mais potente, estridente e com uma tensão maior de corda.
Músicos executando Barroco ou musicas mais antigas geralmente preferem para esse tipo de som de cordas de tripa.

Cordas de Aço

Logo, cordas de aço tornaram-se mais populares que as cordas de tripa entre músicos não clássicos. Cordas feitas de núcleo de aço têm um som direto, claro e com poucos overtones, ao contrário das revestidas que possuem overtones mais interessantes.
São muito mais estáveis na altura que as de tripa, Também duram mais. Possuem som muito brilhante, e algumas vezes fino, a fineza (espessura) pode ser negada com revestimento. São também muito boas para instrumentos menores, de entrada (entry-level) ou iniciantes.

Níveis de durezas das cordas

Muitas cordas estão disponíveis em diferentes espessuras e dureza. Com uma corda espessa, você conseguirá mais volume e melhor ajuste na afinação. Com uma corda fina, você terá um som mais brilhante com menor aplicação de força.

[…]Continua[…]

Guia de Cordas – Parte 2

Guia de Cordas – Parte 3

As maiores marcas de cordas disponíveis no mercado

Dominant
Estas cordas de núcleo sintético testada pelo tempo são uma boa escolha para estudantes ou qualquer um que queira cordas de qualidade por um preço razoável.
Cordas Dominant são provavelmente as cordas mais populares do mundo. É a escolha básica de muitos violinistas, incluindo várias combinações com outras cordas. Estas cordas, como todas as cordas de núcleo de perlon, tem grande flexibilidade, núcleo de nylon multi-filamento e serve para artistas que se sentem desconfortáveis com cordas de aço. O som das cordas Dominant é cheio e ambíguo, rico em overtones. É radiante e pode projetar sem soar metálico. Enquanto alguns acreditam que as cordas Dominant são comparáveis em qualidade sonora com as de tripa sem as desvantagens da corda de tripa, outros discordam. No entanto, estas cordas são claramente um degrau acima das cordas de aço mais recentes. Cordas Dominant têm a tendência de “quebra” (unwind, perder o revestimento da corda). São vendidas em três durezas: Alta, média e baixa. Adquira de acordo com seu instrumento ou misture e case. Nota: Você precisará tangê-las por alguns dias para eliminar qualquer sinal de som metálico quando são novíssimas, recém tiradas da embalagem. Elas devem ser trocadas em intervalos regulares para manter a sonoridade.

Evah Pirazzi
As cordas de núcleo sintético Evah Pirazzi têm um inacreditável e poderoso som, alcance e modulação. Som cheio e afinado, casado com estabilidade e fácil e rápida resposta à execução. Disponível em Espessa, média e fina. Você pode ter um bom som sem muito esforço. Som quente e brilhante, mas devem ser trocadas regularmente. Alguns músicos acham as cordas super-dimensionadas, e maiores tensões podem ser muito grande para alguns instrumentos, novamente demonstrando que o casamento entre instrumento e corda é um desafio.

7 comentários sobre “Guia de cordas – Parte 1

    • É uma questão bem pessoal, mas é consenso de que a Obligato e a Evah Pirazzi cai muito bem no gosto da galera. Tenho certeza de que não vais se arrepender. (Eu uso Obligato) Grande Abraço e Volte Sempre!😉

  1. Ola,
    Eu usava Mauro Calixto no cello, comprei Daddario helicore e estou muito satisfeito!
    A Mauro Calixto tem um som arranhado, sem volume, e se perde a velocidade ao tocar.
    A Helicore é muito macia, som estavel, afinaçao perfeita, tem um bom volume de som e otima resposta.
    Abraço a todos!

  2. Muito obrigado…
    Eu gostaria de lhe fazer mais uma pergunta, eu tenho um violino da marca Honsteiner, comprei ele a 10 anos atrás, até que é um violino bom mas eu gostaria de comprar um novo (encomendar em um luthier), com um som melhor.
    Comecei a pesquisar sobre o assunto e descobri que a vários formas de violino como Stradivarius, Guarnieri, Jacob Stainer, Nicolaus Amatus, dentre outros.
    Me falaram que a forma do Jacob Stainer é a que produz o maior som, com maior volume, gostaria que me explica-se um pouco desse assunto, se é verdade que o Jacob Stainer tem o som mais potente e na sua opinião qual seria a melhor escolha.
    obrigado pela sua atenção e me desculpe por tantas perguntas ;D
    Att,
    Felipe

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s