2.Escolhendo um Violino

Ola equilibristas das quatro cordas!

Se voce tem duvidas como:

  1. Qual violino e melhor para iniciantes?
  2. Como eu vou saber se um violino e bom?
  3. Que diferenca faz um tipo de madeira ou verniz diferente?
  4. Blah?Blah?Etc e tal…

Por sugestao do proprio Nilson vou completar o post anterior.

Se voce nao leu o post anterior clique aqui

Por Nilson Fractucello

Madeiras

Madeira classe E: Altamente imprópria para confecção de instrumentos de cordas. Geralmente, Compensado, madeira de construção.

Madeira classe D: Outros tipos que não são Abeto e Atilo. Não são apropriadas para confecção de instrumentos de cordas e arco, por apresentarem baixo desempenho, e por não amadurecerem com o tempo. Geralmente são Pinhos Nacionais, Jacarandá e Cedro Branco. Porém, alguns instrumentos feitos com essa madeira, podem surpreender.

Madeira classe C: Abeto, Átilo. Lisa, sem ou com rajado esporádico, quase imperceptível.

Madeira classe B: Abeto, Átilo. Rajada, porém com baixa acentuação.

Madeira Classe A:
Abeto, Átilo. Rajada viva, altamente perceptível.

Madeira Classe AA:
Abeto, Átilo. Envelhecida, selecionada, rajado vivo, chegando a criar um efeito visual quase psicodélico.

Vernizes

Verniz classe D: Sintético, à base de petróleo e P.U., usado na pintura de automóveis. São utilizados para dar uma “beleza falsa” no instrumento. São brilhantes, deixam o violino com uma falsa beleza, mas seu P.U. cria uma casca tão grossa, que blinda o corpo do instrumento, e impede que as vibrações passem através da madeira, e o resultado é o abafamento do som.

Verniz classe C: Semi-sintético. Ainda é artificial, mas mais suave que a classe D. Não cria uma couraça tão forte, pois não possui o P.U. e sua aplicação é feita sem exagero, em camada mais fina. Não deixa o instrumento com desempenho máximo, mas também não chega a abafar o som de maneira significativa.

Verniz classe B:
Verniz a base de álcool. Possui extratos naturais em sua fórmula, que proporcionam um brilho naturalmente bonito. Não abafa em nada o som do instrumento, pois é mole, e deixa o som “transpirar” naturalmente pela madeira. São de fina aplicação, e opção de algumas fábricas de instrumentos, e alguns luthiers, por possuir secagem rápida.

Verniz classe A:
Impecável. É o melhor verniz para a finalidade. À base de óleo, segue mais ou menos a mesma fórmula do verniz classe B, porém, o álcool é em bem menos quantidade, o suficiente apenas para a diluição da anilina, pigmentação do verniz. É usado uma quantidade maior de Terebentina, o que ajuda a dar um brilho e uma testura naturalmente sublime. Basicamente é o verniz usado pelos luthiers cremoneses da era de ouro, e usado pelos melhores luthiers atualmente.

Acabamento

Interno Classe C: Geralmente as contra-ilhargas (filetes internos que auxiliam na colagem das faixas com os tampos) não são lapidadas corretamente, deixando lascas à mostra, a madeira, no geral, fica suja, com escritas a lápis ou a caneta, ficam expostas manchas de cola, e talco (utilizado geralmente para a absorção de pontos de umidade). Enfim, é deixado internamente rastros da produção.

Interno Classe B: O acabamento já possui um pouco mais de atenção. As contra-ilhargas recebem mais atenção, e manchas de cola, caneta ou talco são raras, mas podem existir.

Interno Classe A: É o toque do luthier. É uma atenção devida e obrigatória num bom instrumento. Afinal, o instrumento de cordas ideal tem que ser belo e perfeito, tanto por dentro como por fora. Na prática, antes de fechar o instrumento, é recebido uma atenção especial, como remoção total de marcas de produção. A madeira vista através dos furos “f”, ou do furo do botão, mostra-se impecável. Limpa e cristalina como por fora, só que sem o verniz.

Externo Classe C: Geralmente deixa rastros de produção, como anotações ou marcas de caneta ou lápis. A lapidação das bordas e da voluta não é acentuada, e podem possuir falhas e imperfeições.

Externo Classe B:
Não há rastros de produção, mas podem ter uma falhinha aqui ou ali, indicando que o serviço não foi feito com atenção individual.

Externo Classe A: Totalmente belo. Esse acabamento busca tirar a imperfeição até de detalhes mínimos e quase imperceptíveis. Alguns violinos de fábrica, de modelos mais caros puxados para série profissional, vêm com esse acabamento. E os violinos de luthier, têm por obrigação virem com esse acabamento.

Instrumentos

Classe D: Raríssimas exceções, mas não difícil de encontrar, misturam tudo o que há de inferior na matéria-prima e maneira de construção E pra finalizar, o Compensado é a madeira para sua construção.

Classe C: É uma média da construção e material de categoria mais simples, com exceções em algumas delas.

Classe B: É uma média da construção e material de categoria intermediária, também com exceções em algumas delas, para pior ou para melhor.

Classe A: São instrumentos exemplares, com média alta da construção e materiais utilizados. As exceções negativas são raras.

Classe AA: Impecáveis e perfeitos. Reúnem dedicação na construção, na seleção dos materiais utilizados, e são feitos para fazerem história.

4 comentários sobre “2.Escolhendo um Violino

  1. Boa noite!!!
    Parabéns pelo seu site gostei muito!!!
    Eu gostaria muito de saber se eu posso trocar de verniz do meu violino que foi feito por um luthier há 10 anos atráz cuja madeira é de pinho nacional e só que quando foi envernizado, ficou grosso o verniz e ficou um pouco em rugado com o calor mas sua qualidade de som é bastante suave…Más não foi harmonizado e segundo que fiquei sabendo este tipo de madeira não dá harmonização e não compensa trocar de verniz; Será verdade???Tem alguma sugestão???

    • Olá Eduardo, tenha cautela

      Um luthier poderia responder melhor essa sua dúvida. Os conselhos são:

      Nunca fazer gambiarra, ou pedir para outro quebrar o seu galho…
      Se vale a pena mexer no teu instrumento, então leve a um luthier respeitado da sua cidade.
      Ele com certeza vai saber o que pode e não pode ser feito. E é uma garantia de que você não vai sair no prejuízo.
      O negócio é ter paciência, pesquisar bastante, reservar dinheiro.

      Sem precipitações, sem decepções. Boa sorte!😉

  2. Muito obrigada pelas informações, com certeza são úteis e servirão para que muita gente acerte mais na hora de comprar um violino. Parabéns!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s